FÓRUM ESTUDANTIL – COLÉGIO MARIA CLARA MACHADO

FÓRUM ESTUDANTIL – COLÉGIO MARIA CLARA MACHADO

O Colégio Maria Clara Machado inaugura o ano letivo com uma verdadeira aula de cidadania*.

No primeiro dia de aula, alunos e professores do Colégio Maria Clara Machado se reuniram para traçar os objetivos a serem alcançados durante o ano e definir estratégias para cuidar de nosso bem maior: a água. Em consonância com o lema do Colégio, “Por uma educação do cuidado”, cada turma discutiu seus objetivos, esboçou caminhos para alcançá-los e, como não poderia ser diferente na era digital em que vivemos, compartilhou suas conclusões com os demais. O exercício do cuidado começou assim: com cada aluno ouvindo e respeitando o que seu colega tinha para apresentar, como em uma grande conferência de cúpula de chefes de estado; todos cuidando de si e do outro.

Cada estado (turma) fez-se representar muito bem por colegas que foram à frente manifestar desejos e interesses coletivos. Nossos alunos mostraram que têm consciência de que, como bons estudantes, sua prioridade não poderia ser outra que estudar. Entretanto, estudar sem apenas se preocupar com fórmulas e regras, mas trabalhando com “fé, foco e força”, como disseram os alunos do 7o ano. É interessante observar o engajamento desses alunos com seu papel na sociedade ao constatar que, em todas as turmas, um dos objetivos principais era ir além dos próprios limites, superar as médias e alcançar altos níveis de aprovação. Entre outras metas, mencionaram também fazer novos amigos, conviver bem com todos no colégio e aprender sempre. Os alunos do 8o ano escolheram as palavras “respeito” e “paciência” para marcar seu percurso durante o ano enquanto que o 9o ano ousou um pouco mais e decretou que não haverá recuperações. Grande desafio, é certo, embora pareça ser tranquilamente alcançado se colocado diante das promessas de compromisso e dedicação.

Nessa aula de civilidade, a preocupação com o (mau) uso da água foi tema de grande discussão. Sim, os nossos alunos percebem que a educação do cuidado tem dimensões mais amplas que cuidar de si e do outro. Também estão preocupados com o mundo e com a vida. Segundo disseram os alunos do 2o ano do Ensino Médio, “cuidar da água se alinha à meta da escola que é cuidar da vida”. Nesse sentido, os alunos do 6o ano apresentaram um esquete que, embora haja divertido os colegas, alertou para a situação caótica que estamos vivendo. Entre todos, compartilharam instruções sobre como se deve tomar banho, escovar os dentes, lavar a louça e o carro, armazenar água das chuvas, “sair da conscientização e partir para a ação”, nas palavras do 7o ano do Ensino Fundamental. Dados estatísticos e comparações com outros países, europeus e árabes, permearam o debate e mostraram que existem soluções para o problema que estamos enfrentando. Os alunos do 3o ano do Ensino Médio assinalaram que o desmatamento provocado pelo homem gera falta de chuvas e, preocupados com as gerações vindouras, enfatizaram que é possível minimizar esse problema a longo prazo plantando árvores. Nossos vestibulandos ensinaram aos demais o rodízio da descarga e, tentando quebrar PREconceitos, disseram que “mesmo sendo desagradável, temos que correr riscos”. O assunto estava tão interessante que alguns alunos se apossaram espontaneamente do microfone para manifestar suas convicções, como a aluna Lilian ao lembrar que nem o resto de água das garrafinhas que os colegas levam para a escola deve ser jogado fora.

Em nome dos professores do Colégio, o professor de Biologia, Pascoal, enfatizou a importância de estarmos todos focados na questão da água. Segundo ele, o grande problema do Brasil não é a falta de água, já que contamos com 12% das reservas mundiais de água doce. O grande problema é a má distribuição atrelada ao mau uso. Deve-se repensar o uso da água em grande escala. Não apenas no âmbito doméstico uma vez que os maiores gastos estão na agricultura, nas mineradoras, nas indústrias de modo geral. A título de ilustração, contou-nos sobre uma indústria no sul do país que, pelo único fato de calibrar a vazão dos seus canos, conseguiu economizar muitos litros de água. Esse é um exemplo real de como ações concretas podem acabar com o desperdício de água. Corroborando a fala do Prof. Pascoal, o aluno Erik do 6o ano, logo de constatar que por haver mais pessoas no mundo se gastará mais água, ponderou a necessidade de se utilizar a água com muito cuidado.

Ao final do Fórum os alunos foram convidados, partindo-se da sugestão do Prof. Felipe, a trazer “ideias poderosas” relacionadas ao consumo consciente da água para serem aplicadas à rotina de todos. Embora se haja cogitado a possibilidade de se premiar a melhor ideia, o Prof. Donizetti pontuou, acertadamente, que “o maior prêmio é fazer algo melhor para você mesmo”. Dessa forma, agradecidos por poder participar de um evento desafiador como esse, todos voltaram a seus lugares conscientes do papel que têm no que tange ao cuidado de si, do outro, do mundo e da vida. São “pequenas” atitudes como esta promovida pelo Colégio Maria Clara Machado que mudam a história da humanidade.

* Sou Professora de Espanhol nessa instituição e tive a honra de sintetizar as principais ideias abordadas nesse encontro.



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *